Tags

, , ,

Sou completamente louca por botas desde criancinha. Um pouco por herança da minha mãe (ela comprava várias iguais, só mudava as cores) outro pouco por instinto de proteção mesmo. Afinal, botas sempre nos deixam mais seguras, ainda que não se viva na selva.
Contudo, só comecei a me interessar de verdade por diferentes modelos na década 1990. Lá pelos meus 15 anos estava tão fanática que não me importava se era verão, se faziam 40ºC ou o que fosse, estava sempre com minhas botinhas. Claro que não eram botinhas quaisquer, eram as que eu havia escolhido. Chatamente escolhido. Motivo esse, por sinal, pelo qual vivo atrás do modelo ideal, sem nunca achá-lo.
Há alguns anos, minha irmã me deu uma que era meu xodó: cano longo; salto baixo; estilo montaria, mas de bico fino; num marrom café (ou algo que se assemelhe). Linda.
O problema é que depois de muitas e muitas reformas elas entraram em decomposição no ano passado e não encontrei nenhuma substituta.
O fato é que bicos finos foram abolidos do mercado, sobretudo em se tratando de botas de salto baixo e eu não estava nenhum pouco a fim de comprar nada de bico redondo.
Só agora, depois de procurar pelos quatro cantos do mundo (a.k.a Porto Alegre) é que estou começando a me acostumar com a ideia de que tudo bem ter uma bota de bico arredondado. Até porque achei uma graça aquelas do desfile do Marcelo Sommer, para grife Do estilista. Compraria na certa (se entrasse no meu orçamento, claro).

A capodarte também fez um modelo bem interessante para sua coleção outono/inverno. Então, quem sabe, seja essa a minha chance de conseguir de novo um xodó.

Imagem 1: Blog do Arlindo
Imagem 2: Capodarte

P.S: Gente, vou viajar no feriado de Carnaval, volto dia 10. Abs

Anúncios